Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO – PPP

O Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) é um formulário que possui campos a serem preenchidos com todas as informações relativas ao empregado, como por exemplo, a atividade que exerce, o agente nocivo ao qual está exposto, a intensidade e a concentração do agente, exames médicos clínicos, além de dados referentes à empresa (dados administrativos, registros ambientais e resultados de monitoração biológica, durante todo o período em que este exerceu suas atividades na respectiva empresa).
O formulário deve ser preenchido pelas empresas que exercem atividades que exponham seus empregados a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física (origem da concessão de aposentadoria especial após 15, 20 ou 25 anos de contribuição). Além disso, todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, de acordo com Norma Regulamentadora nº 9 da Portaria nº 3.214/78 do MTE, também devem preencher o PPP.

O PPP TEM COMO FINALIDADE:

- Comprovar as condições para habilitação de benefícios e serviços previdenciários, em particular, o benefício de aposentadoria especial;

- Prover o trabalhador de meios de prova produzidos pelo empregador perante a Previdência Social, a outros órgãos públicos e aos sindicatos, de forma a garantir todo direito decorrente da relação de trabalho, seja ele individual, ou difuso e coletivo;

- Prover a empresa de meios de prova produzidos em tempo real, de modo a organizar e a individualizar as informações contidas em seus diversos setores ao longo dos anos, possibilitando que a empresa evite ações judiciais indevidas relativas a seus trabalhadores

- Possibilitar aos administradores públicos e privados acesso a bases de informações fidedignas, como fonte primária de informação estatística, para desenvolvimento de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como definição de políticas em saúde coletiva.

Criado para substituir os antigos formulários denominados SB 40, DISES BE 5235, DSS 8030 e DIRBEN 8030, os quais sempre foram de preenchimento obrigatório apenas para aqueles trabalhadores que laboram expostos a agentes nocivos à sua saúde, sua exigência legal se encontra no artigo 58 da Lei 8.213/91.

Anteriormente somente os trabalhadores que tinham direito a se aposentar precocemente, com a chamada aposentadoria especial, recebiam os formulários substituídos pelo PPP. Em decorrência da IN INSS 118/2005, a partir de 1º de janeiro de 2004, a empresa ou equiparada à empresa ficou obrigada a elaborar o PPP, conforme anexo XV da referida Instrução, de forma individualizada para seus empregados, trabalhadores avulsos e cooperados. Atualmente, a Instrução Normativa INSS 45/2010 é que estabelece as instruções de preenchimento e o modelo do formulário do PPP.

A exigência abrange aqueles que laborem expostos a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física, considerados para fins de concessão de aposentadoria especial, ainda que não presentes os requisitos para a concessão desse benefício, seja pela eficácia dos equipamentos de proteção, coletivos ou individuais, seja por não se caracterizar a permanência.

 

MICROEMPRESAS
Observe-se também que as Micro Empresas e as Empresas de Pequeno Porte não estão dispensadas da emissão do PPP.

 

RESPONSABILIDADE

A responsabilidade pela emissão do PPP é:
- Da empresa empregadora, no caso de empregado;
- Cooperativa de trabalho ou de produção, no caso de cooperados filiados,
- Órgão Gestor de Mão de Obra – OGMO, no caso dos Trabalhadores Portuários Avulsos – TPA; e
Sindicato de Categoria, no caso de trabalhador avulso não portuário.
- O PPP deve ser preenchido, atualizado e entregue ao trabalhador no momento da rescisão somente em relação àqueles empregados que durante o contrato de trabalho estejam em contato com agentes nocivos à saúde, sob pena de multa mínima, de acordo com a Portaria Interministerial MPS/MF 15/2013 (válida a partir de janeiro/2013), de R$ 1.717,38 (mil setecentos e dezessete reais e trinta e oito centavos).

 

O PPP deverá ser emitido com base nas demonstrações ambientais, exigindo, como base de dados:

a) Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA;
b) Programa de Gerenciamento de Riscos - PGR;
c) Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT;
d) Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO;
e) Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho - LTCAT;
f) Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT.

A atualização do Perfil Profissiográfico Previdenciário deve ser feita sempre que houver alteração que implique mudança das informações contidas nas suas seções ou pelo menos uma vez ao ano, quando permanecerem inalteradas suas informações.

  Fontes:

MTE Ministério do Trabalho e Emprego
Guia Trabalhista Manual Prático
(Júlio César Zanluca é Contabilista e coautor da obra Manual Prático de Rotinas Trabalhistas)

Inspeção Predial - Check-Up - Perícia Legal, Técnica e Judicial - Manutenção Predial - Conservação - Estabilidade - Construção - Reforma - Incêndio - Normas - NR - Leis - Decretos - Prefeitura - Estado - Engenheiro de Segurança do Trabalho - Engenharia de Controle e Perdas - Arquiteto - Arquitetura e Urbanismo - Projetos - CAU/RJ - CREA/RJ - Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio de Janeiro - LTVP - Laudo Técnico de Vistoria Predial - Edifício - Prédio - Shopping - Comercial - Residencial - Centro Comercial - Prédio Comercial - Industrial - Fábrica - Confecção - Hospitalar - Indústria Química - Indústria Alimentícia - Indústria Naval - Estaleiro - curso de autovistoria - IBAPE - Engenharia Legal - bairro - região - área - Barra da Tijuca - centro - zona sul - copacabana - ipanema - leblon - botafogo - glória - catete - laranjeiras - humaítá - leme - jardim botânico - ilha do governador - flamengo - tijuca - lapa - são cristovão - vila isabel - méier - madureira - grajaú -maracanã - gávea - lagoa- Recreio - jacarepaguá - taquara - freguesia - hotel - bar - restaurantes -  laudos de vistoria - CBMERJ - Corpo de Bombeiros - COSCIP - Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico - gás - vazamento - ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - NR - normas regulamentadoras - MTE - Ministério do Trabalho e Emprego - Escada Enclausurada - para-raios - orçamento - credibilidade - preço - prazo - elétrica - esgotos - administração - empresa - imóvel tombado - imóvel apacado - imóvel preservado - centro histórico - duque de caxias - niterói - nova iguaçú - nova friburgo - petrópolis - são gonçalo - campos dos goytacazes - resende - campinas - são paulo - sp - belo horizonte - betim - mg - minas gerais -  vitoria - vila velha - espírito santo - es - curitiba - paraná -pr - Perito Judicial - Assistente Técnico -sesmt - pcmso - ppra - cipa -aso - medida provisória Nº 759, de 22 de dezembro de 2016 , do direito real de laje -  Código Civil 10406 LEI Nº 10.406  de 10 de Janeiro de 2002 (Do Direito de Construir) - regularizar condomínio - legalizar imóvel - mediação - conciliação - arbitragem - inspeção de gás no RJ - vistoria de gás no RJ - sistema fotovoltaico - energia solar - painel solar - créditos de energia -  ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) - Vistoria de Marquises (DSEM) - Laudo de CBMERJ (Licença de Edificação) - Contabilidade - obrigatoriedade - Porcelanato Líquido